#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

27.4.12

Introspecção criativa

.

Le Corbusier, arquiteto

Introspecção é o ato pelo qual o sujeito observa os conteúdos de seus próprios estados mentais, tomando consciência deles. Dentre os possíveis conteúdos mentais passíveis de introspecção, destacam-se as crenças, as imagens mentais, memórias (sejam visuais, auditivas, olfativas, sonoras, tácteis), as intenções, as emoções e o conteúdo do pensamento em geral (conceitos, raciocínios, associações de idéias).

Há um debate contemporâneo nos campos da Epistemologia e da Filosofia da Mente acerca da natureza, das características e da validade do conhecimento gerado pela introspecção (autoconhecimento). Um exemplo de questão levantada neste âmbito é a seguinte: Na introspecção, o sujeito tem acesso direto (não mediado, não inferencial) ao objeto?

Muitos filósofos usaram esse método de investigação que é estimulado a partir de um dos sete apotegmas mais famosos da filosofia de Sócrates ao propôr: "Conhece-te a ti mesmo". Após muitos anos em declínio Descartes para chegar a suas conclusões, como "Penso, logo existo!".

Fonte : Wiki


.

7 comentários:

Selena Sartorelo disse...

Uma das coisas que mais me fascina é quando o homem explica o ato de pensar.
Beijos

peri s.c. disse...

Selena, o explicar é explicável ?

peri s.c. disse...

Tô ficando louco : " o pensar é explicável ? "

expressodalinha disse...

Tudo é explicável, mas nem sempre pensamos.

sonia disse...

Sinto que faço algum progresso quando exercito a introspecção após alguma insatisfação com meu próprio estado de alma. Nesse sentido nunca alguém conseguiu realmente me ajudar. É um trabalho solitário e árduo!

peri s.c. disse...

Jorge

Talvez até o inexplicável seja explicável, eh, eh

peri s.c. disse...

Sonia
Nessas horas conversamos com nossos vários "eu"s .